-->

Lesões na Região do Quadril

 

Fratura Transtrocanteriana

 

A fratura transtrocanteriana ocorre tipicamente em pessoas acima dos 70 anos de idade, após queda da própria altura. Os sintomas gerados pela fratura são: dor local no quadril e incapacidade para andar. Diante de tal situação, o paciente deve ser levado imediatamente a um pronto socorro para avaliação ortopédica.

O diagnóstico se baseia, na maioria dos casos, em radiografias do quadril afetado.

O principal diagnóstico diferencial da fratura transtrocanteriana é a fratura do colo femoral, também localizada no quadril.

Em raros casos pode ocorrer a chamada fratura oculta do quadril. Nesse caso o paciente apresenta a mesma história de queda sobre o quadril e incapacidade de andar; porém a radiografia não evidencia a fratura. A ressonância magnética é o exame de escolha para descartar tal fratura, excepcionalmente.

O tratamento da fratura transtrocanteriana é, via de regra, cirúrgico, através da fixação da fratura. O tratamento conservador está apenas indicado quando o paciente não tem condições clínicas para o tratamento cirúrgico.


Fratura do Colo Femoral

 

A fratura do colo femoral ocorre tipicamente em pacientes a partir dos 60 anos de idade, após queda ao solo. Assim como na fratura transtrocanteriana, também apresenta-se com quadro de dor local no quadril e incapacidade para andar. Diante de tal situação, o paciente deve ser levado imediatamente a um pronto socorro para avaliação ortopédica.

O diagnóstico se baseia, na maioria dos casos, em radiografias do quadril afetado.

O principal diagnóstico diferencial da fratura do colofemoral, é a fratura transtrocanteriana, também localizada no quadril.

Em raros casos pode ocorrer a chamada fratura oculta do quadril. Nesse caso o paciente apresenta a mesma história de queda sobre o quadril e incapacidade de andar; porém a radiografia não evidencia a fratura. A ressonância magnética é o exame de escolha para descartar tal fratura, excepcionalmente.

A depender do grau de desvio da fratura, os vasos sanguíneos que nutrem a cabeça femoral podem ser lesados. Consequentemente, quanto maior o desvio da fratura do colo femoral, maior a chance de necrose da cabeça femoral (por não se chegar sangue adequadamente, a cabeça femoral sofre uma espécie de “infarto” e “morre”). Tal foto é levado em consideração para auxiliar na decisão de conduta.

O tratamento da fratura do colo femoral é, via de regra, cirúrgico. A depender da idade do paciente e do grau de desvio da fratura, opta-se basicamente entre duas opções: fixação da fratura ou artroplastia do quadril (prótese do quadril). O tratamento conservador está apenas indicado quando o paciente não tem condições clínicas para o tratamento cirúrgico.